Relação de terminais do distrito federal


Relação de terminais do distrito federal

O Distrito Federal possui 31 terminais de acordo com o DFTrans (Transporte Urbano do Distrito Federal), sendo que não existe relação de um por região administrativa. Essa informação nos chamou atenção, para criar hipóteses do porque dessa configuração do sistema de transporte público do DF.

Os terminais estão dispostos por bacias geográficas, obedecendo as seguintes regiões administrativas Asa Norte, Asa Sul  e Cruzeiro Novo.  Brazlândia, Ceilândia, Taguatinga, Samambaia,Santa Maria, Recanto das Emas,Riacho Fundo, Núcleo Bandeirante, Gama, Guará, Itapoã, Paranoá, São Sebastião, Sobradinho.

Crescimento populacional e de terminais

Em 2011 o Distrito Federal tinha população de 2.749.030 habitantes, segundo levantamento do IBGE e possuía 28 terminais de ônibus de acordo com o DFTrans. Em 2016 o DF tem estimado pelo IBGE uma população de 2.977.216 habitantes, registrando crescimento estimado de 7,6% após 5 anos. A quantidade de terminais de transporte público cresceu em 3, atingindo a marca de 31, de acordo com documentos do DFTrans.

Verificamos a lista de terminais disponível no site do órgão e foi possível ver que Águas Claras, Vicente Pires, Sudoeste/Octogonal, SIA, Lago Norte, Núcelo Bandeirante, SCIA, Jardim Botânico, Park Way, Lago Sul, Candangolândia, Fercal e Varjão, não possuem terminais. O que somadas registram população estimada pelo IBGE em 563.233, ou seja, uma estimativa de 18% da população não tem terminal próprio.

Terminal de transporte público e a mobilidade urbana

Os terminais visam a transferência de pessoas, modais e intermodais das demandas de deslocamento da população e das cargas através da implantação e/ou melhoramento. Sendo que terminais de integração constituem centros de intercâmbio urbano, com comércio, serviços e estacionamentos dissuasórios. Existem também os terminais de retorno e os de pontos de conexão.

Todos estes tem seu papel na mobilidade urbana, transportando pessoas e ligando partes de uma cidade, com diferentes meios de transporte. Quando uma parte considerável de uma cidade não o possui de forma acessível, o sistema de transporte público fica sobrecarregado naquela região, fazendo com que mais pessoas que queiram se deslocar usando esse tipo de transporte precisem ir para paradas de ônibus, que não é um ponto de concentração com a frota de ônibus.

Não é econômico para a população

Não ter terminal de ônibus na região administrativa onde o cidadão mora, faz com ele tenha que de maneira aleatória, esperar uma determinada linha de ônibus que passa na rua ou avenida do ponto de ônibus e iniciar a sua viagem. Sendo que em ponto de concentração de frota de ônibus, haveria mais opções para a mesma região administrativa, com diferentes trajetos de deslocamento.

O tempo gasto para uma pessoa no DF, na parada de ônibus, do momento em que ele chega ao momento que ele inicia a viagem varia entre 1 minutos e 50 minutos, segundo levantamento que realizamos em Samambaia-DF em novembro de 2015. Esse levantamento se deu na quadra 314 de Samambaia Sul e visava inicialmente entender a média de minutos do transporte público da região.

Se houver um terminal, pode-se fazer o trajeto ao terminal a pé, em veículos com terceiros ou com transporte coletivo e adentrar na primeira linha de opção no terminal para ir ao destino final. Isso reduz o tempo de espera para embarque e início da viagem ao destino final do cidadão.


EXTRA POST

Vídeo no canal da EngiMind de ums simulação da Rodoviária do Plano Piloto.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s